segunda-feira, 19 de maio de 2014

MODERNA PROPOSTA DE CAMPANHA POLÍTICA

MANUENÇÃO INDUSTRIAL - CONSULTORIA DE GESTÃO  E QUALIDADE –  MARKETING POLÍTICO E CAMPANHAS - SUPORTE GERENCIAL – MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM – TREINAMENTOS – AUDITORIA – CONTABILIDADE – SOFTWARES – TERCEIRO SETOR.

Porque tentamos e acreditamos ser possível...


esta proposta é colocada em todos os períodos eleitorais. Assistimos varias consultorias chegarem aqui. Estamos fazendo ainda a antiga política, os antigo conchavos. De uma chance a modernidade, a técnica, a inovação.


Att. Sr. CANDIDATO
Ref.:  CAMPANHA POLITICA  2014 – 2016 (a política tradicional era feita de crenças, insegurança e conchavos espúrios. Alguns fugiram deste esquema e obtiveram resultados. Lula, Barak Obama) a sociedade mudou. Mudaram os meios e as leis. Como se lançar candidato sem saber quais possibilidades de sucesso? Isto gera insegurança e pressiona o suporte financeiro da campanha. Contrate serviços de suporte a sua candidatura e campanha. Converse com seu partido. NÓS PODEMOS FAZER  A DIFERENÇA!

OS PRECONCEITOS, O OUVIR DIZER, A DESCRENÇA PODEM ESTAR TE AFASTANDO DA INOVAÇÃO E LOUCURA NECESSÁRIAS AO SEU PROJETO PESSOAL. INOVE! Há quase 20 anos que participamos do processo político da cidade. EM TODOS OS PLEITOS TRABALHAMOS E ACUMULAMOS EXPERIÊNCIA  FAÇA CONTATO CONOSCO PORQUE,
                                                                                              ESTA SENSAÇÃO DE CERTEZA é apenas uma sensação, SEM O APOIO  TÉCNICO E CAPACIDADE DE ANÁLISES E DISCERNIMENTO!  Lembre-se: irão dizer sempre o que tu queres ouvir.


 E,  NÃO SOMOS MERCENÁRIOS, SABEMOS NEGOCIAR.








Introdução
O limite de uma candidatura ou campanha é sua proposta, planejamento, finalidade e claro, sua ambição.  Estamos  observando  lideranças tradicionais serem duramente substituídas aqui e em todo o país.  Observe  os acontecimentos em alguns partidos e grupos em Parauapebas.  Diriam que são coisas de política mas não são. Não entendemos que estas atitudes sejam coisas de política, são reações instintivas, sem qualidade, riscos desnecessários que alguns topam e vendem aos outros.

Compreendemos que todos os políticos estão retidos nesta  problemática: grande dose de desconfiança, crença em superpoderes pessoais, indisponibilidade de recursos e pouca iniciativa; falta de dados concretos, estratégia e planejamento, mapa eleitoral e avaliação de desempenho. Não se pensa a carreira política de forma profissional, passível de investimentos e resultado.

Vencidos estes paradigmas e decidido pelo desenvolvimento de uma carreira é possível  verificar onde cada centavo é investido e qual o seu retorno, estabelecendo o posicionamento estratégico das despesas  e investimento, com foco no resultado.  É importante ressaltar que não se tem mais espaço para políticos aventureiros e de última hora. Feito sem estudos e metas, uma campanha anda como 90% das campanhas de candidatos mambembes do último circo eleitoral da cidade, estado e país.

Como consultoria de gestão, já com diversos trabalhos vitoriosos para políticos locais e profundos conhecedores da região e do estado do Pará, é que propomos atuar  na sua campanha e próxima ambição: a gestão ou legislatura municipal, estadual ou mesmo federal. Toda sua campanha pode ser dirigida e direcionada a partir de um único plano; assim potencializamos custos, medições e previsibilidade. Incluímos a contabilidade e prestação de contas de campanha, monitorados estritamente pela lei eleitoral.

É importante ressaltar que não apoiamos grupos ou partidos, mas clientes. Nosso histórico de serviços prestados nos garantem isenção e responsabilidade com sigilo. Nos últimos anos temos trabalhado para as principais forças políticas da cidade, sem nunca, em todos estas ocasiões,  ter  vazado qualquer informação.

Previmos com antecedência e documentamos em pleitos anteriores, utilizando recursos próprios e estatística que as campanhas a deputado estadual dos Srs. Milton e Jussara não seriam vitoriosas. Eles receberam nossos estudos durante suas campanhas.   

Nosso propósito é desenvolver um projeto, incluído n variáveis, segmentado em curto, médio e longo prazos, com planejamento detalhado de ações para seu futuro político: comportamento, situações, posicionamento social e eventual, meios de comunicação e internet.  E seus controles de objetivos e metas.

Inclusive estamos preparados para utilizar a INTERNET como instrumento de campanha e divulgação, com capacidade para atender qualquer demanda do  partido ou candidato.  Temos no ar sessenta blogs, sites e perfil em todas as grandes redes sociais do mundo, mais dois canais de teve e rádio. Ainda, um potente servidor de –mail, com capacidade para quatrocentos milhões de unidades, vinte mil por hora. Podemos segmentar por profissão, idade, hobbies e quaisquer outros solicitados pelo cliente.

Para melhor se inteirar, por favor contatar nossa empresa. Fones  91632168 - 91414949



Para contratar somente a pesquisa de opinião:   CONTRATE PESQUISAS REGIONAIS/estadual.
Formato de pesquisa

Pesquisa linear com cédula formal manuseada pelo eleitor identificado por interpelação, na residência e pontos de aglomeração. CONTRATANTE PROPÕE CIDADES E/OU REGIÕES. Em Parauapebas é formulado por região urbana, de Carajás a Palmares II, incluindo zona rural votante. Propomos estudos regionais ou estadual.
Pesquisador identificado. Autorização legal.
Preço
R$00.000,00 ( reais) por pré-candidato, pagos no ato da contratação. Ou materiais.
Abertos a negociações. Pagamento facilitado. Isenção e segurança garantidos!
Apresentação
No formato preferencial do contratante. Publicação do resultado ou em caráter privado, de acordo com as condições contratuais.
Abertos a negociações,




Em 20 anos de Parauapebas, apenas dois políticos conseguiram transpor o curral local. Bel e Faisal, ambos do mesmo grupo e visão. Porque eles? Há votos lá  fora para políticos tímidos e medrosos? Ou é preciso mais trabalho e planejamento?
Propor uma campanha política baseada em planejamento, estratégia, conhecimentos técnicos e científicos, gerou a mais expressiva política da região – Bel Mesquita. (não é nossa cliente)



Não trabalhe apenas dois meses a sua imagem. Constrúa-a ao longo de anos, com planejamento e aferição de resultados. Contrate resultado.
Liberte-se da opinião preconcebida e se disponha a conhecer nosso trabalho!



Estamos prontos e aptos a desenvolver este trabalho com você e sua imagem. Soluções completas para sua campanha 2010 - 2014, incluindo planejamento econômico e internet.


Nossos serviços englobam:

Estruturação da campanha
Sala de guerra com planejamento detalhado das ações
Focus group para starup de imagem e campanha e monitoramento de desempenho
Pesquisas pontuais, locais, regionais e estadual,
Cruzamento das pesquisas com estratégia de imagem e intervenção
Estratégia de intervenção social,
Estratégia, defesa e ataque jurídico
Contra-informação,
Outros...


 

sábado, 23 de fevereiro de 2013

NOVOS VILOES OU HEROIS?




Porque os brasileiros não precisam de vereadores nesta política de compadres
Ou porque Lulu Bergantin não atravessou o Rubicon.

HOMEM  PUBLICO  REPROVADO  POR 80%  DA  POPULAÇÃO  DE  PARAUAPEBAS
PUBLICAREVISTA – POLITICAEP – CAMARAPEBAS – BLOGDOPREFEITO
Há varias legislaturas investimos na possibilidade dos vereadores eleitos serem mais que vereadores ou estarem mais que preocupados em obter ganhos com o cargo cedido temporariamente pela população. Desde 2005 apresentamos um conjunto de idéias e produtos e nos oferecemos como consultoria,  nossos serviços em diversas áreas  e conhecimentos que possam legitimar o mandado de apenas quatro anos que passam como se fossem quatro dias.
Diversos desses produtos apresentados foram utilizados sem nosso consentimento ou acompanhamento e pagamento, tais como o Minuto Camara, a Camara de Vereadores Mirim até onde se tornaram públicos. Em todas as situações manifestamos publicamente nossa insatisfação, sejam através de comunicação direta, seja através da internet (camarapebas.blogspot.com).
Esta renovação atual, cerca de 80% do quadro, é um modelo estatístico que se torna realidade, a intervalos de tempo regulares. Os vereadores vão para casa e na sua grande maioria nunca pensaram um projeto político profissional e logo caem no esquecimento. Isto porque desejam ser apenas vereadores e aproveitarem das benesses do cargo.
Nunca e até então, na historia de Parauapebas um prefeito saiu da câmara. Os ex-vereadores, por não terem um projeto político não avançam em seus propósitos e acabam à deriva, como Vanterlor, Walmir, Rinio, Zé Dias e tantos outros. Faisal é a única exceção, chegando a deputado estadual mas sua historia e da Bel são outro assunto, tiveram apoio de consultorias contratadas para suas carreiras.
Enquanto utilizam mal seu tempo político, gastando seu capital e negando as bases, vêem lideranças surgindo e vindo por fora, ocuparem o palácio dos ventos. Não há evolução natural na carreira política em Parauapebas. A única opção é se agarrarem ao cargo de vereador: Odilon, Euzébio, Massud, Francisangela, Percilia, Juca (o mais longevo vereador e não conseguiu ser reeleito agora) ou caírem no esquecimento, (Valmir e tantos outros). Todos queriam apenas isto para suas vidas? Porque não se articularam com seus partidos e financiadores para o depois da Camara Municipal?
Se observarem  verão o comportamento padrão dos vereadores: não investem em relacionamentos, não se apresentam tecnicamente, acreditam que seus mandatos são perenes,  acreditam ter superpoderes, traem suas bases, fogem das massas e correm feito loucos dos grandes problemas da cidade e de sua população. Por terem origem popular, não se preparam para os grande debates e enfrentamentos necessários que o encontro das grandes soluções exigem. E assim, ano após ano, vemos os dirigentes da cidade se enriquecendo em detrimento do empobrecimento e sucateamento de Parauapebas.
Apenas legisladores covardes permitiriam a explosão imobiliária da cidade sem as necessárias e sociais urgentes contrapartidas: permitir que estes loteamentos avançassem sobre o meio ambiente destruindo áreas de proteção ambiental, vendendo terrenos sem rede de esgoto, sem água tratada, sem redimensionamento da rede elétrica municipal é de uma sandice repelente. No plano diretor municipal, nunca se preveu tal explosão urbana. Loteamentos mal estruturadas, com arruamentos   extremamente mal elaborados, estrutura precária e que logo trarão problemas insolúveis para a competente gestão municipal é de uma violência animal. Qualquer um que anda pelos novos bairros percebe a agressão irracional à natureza: cursos de água interrompidos, açaizais morrendo, morros sendo cortados e levados, áreas de proteção sendo invadidas, alagadiços sendo aterrados e construções sendo feitas a toque de caixa, as margens dos rios sendo ocupadas e a contaminação do rio Parauapebas seguindo sem quaisquer inspeções ou responsabilização.  O lençol freático e as águas do subsolo podem se contaminar com a excessiva ocupação dos terrenos sem rede de captação e tratamento de esgoto. A inatividade da Camara Municipal pode estar destruindo o futuro da cidade. Enquanto acham construir seu presente precário.
Os vereadores que saíram, não fizeram um bom trabalho, não fizeram nada. Os que ficaram tem la suas estratégias precárias, e tanto apresentam sua inexperiência e seu desconhecimento: vão ficando por ficar, não tem um plano, um objetivo alem do cargo de vereador. Diante da reprovação popular a 80% dos seus pares, sabem do que falamos: ficaram quatro anos ao sabor dos ventos. Tiveram oportunidade de reprovar os roubos do Darci, se perfilarem ao lado dos professores e dos funcionários da saúde, de contestarem o orçamento, de monitorar os repasses federais, discutir a destinação das verbas extra-orçamentárias, de vigiar os fundos municipais do meio ambiente, da saúde, de se preocuparem com a falta de água – sim, a CPI da água, acabando em pizza. Todos sabiam que fomos em parte responsáveis pela implantação do sistema de água e não fomos chamados a tal CPI. Ainda, quando a Câmara armou a pantominia com o prefeito na CPI do contrato, OFERECEMOS documentos e auditoria, poderia ter outro desfecho. Esqueceram da sociedade e de suas bases, não fizeram o dever de casa e foram mandados embora.
O que esperamos de vocês, que agora chegam a esta assembléia. Devanir, Odilon, Euzébio,  João do Feijão estão de volta. Tem novas propostas ou estão aqui apenas para compor? E os novatos, chegaram para agregar algo novo? Ouvir nossa consultoria, pagando pelos serviços? Respeitar o conhecimento que Parauapebas esta gerando, não apenas nós, mas outras excelentes pessoas e empresas que amam e conhecem esta cidade, indo além das indicações e dos conchavos políticos e permissões? Vocês vão continuar permitindo as invasões de terrenos populares, de margens e encostas por bandidos a soldo de políticos certinhos? Vão continuar permitindo as mortes de populares nas filas do hospital municipal e dos postos de saúde ou ainda, permitir o sofrimento quando temos entes queridos esperando as ambulâncias do SUS, jogando com suas vidas? Vão permitir que crianças tenham turno intermediário, ficando a mercê da violência pelas ruas, em pleno horário do almoço e meio da tarde, indo e vindo aos bandos? Vão continuar permitindo que o executivo municipal dite as regras sem questionamentos e oposição? VAO CUMPRIR O PAPEL PARA QUE FORAM ELEITOS? Se tem planos de ser prefeito, desistam. Não temos historia para vereador vir a ser prefeito, são funções incompatíveis em Parauapebas. Você terá que fazer sua historia. Odilon sabe bem do que estamos falando. Ate mesmo o Euzébio, que lutou para ser deputado estadual e nem cogitou a vaga de prefeito.
Ouça nossas propostas e sejam fieis as suas bases. Todos nos precisamos de uma Parauapebas melhor.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

É CORRUPÇÃO SIM


Polícia apreende R$ 1,2 milhão e prende 3 no aeroporto de Carajás, PA
Juiz diz que recebeu denúncia de que dinheiro seria para boca de urna. Questionado se os presos estão ligados a partido, delegado não respondeu.  Do G1, em Belém e em São Paulo 

A ATITUDE  de pagar por favores políticos com dinheiro do povo é pratica recorrente do PT. Vide os acontecimentos  que estão desenrolando agora no Supremo Tribunal Federal. Todos os réus foram condenados e todos os que vão ser julgados, serão condenados também. O prefeito local comprou quem ele bem quis. O que não entendemos é porque, nenhuma das grandes operações da Policia Federal ocorreu em Parauapebas. Perguntamos cotidianamente, cadê o Ministério Público Federal, o Estadual, o Tribunal de Contas e as guarnições da Policia Federal? As verbas extra-orçamentárias, oriundas de excesso de arrecadação precisam ser auditadas. Os controles contábeis precisam ser revisados e as garantias para conservação dos dados financeiros e da execução orçamentária precisam ser preventivamente resguardados. 
Pena que apenas  um milhão esteja fora de circulação dia 07 próximo. O grosso mesmo já esta na cidade e grande parte já foi repassado aos laranjas e aos comprados. O juiz eleitoral, se quiser solidificar seu nome, deve estar atento e mandar investigar a boca de urna. Há milhões para serem investidos nesta data. Todos os agentes estão sabendo disso, especula-se ate o valor de cada voto. Não podemos esquecer que, enquanto a maquina estiver a favor deste ou daquele  candidato e os recursos públicos persistirem sem controle, o poder vai mandar sempre. Esperamos todos  uma libertação deste grupo domingo próximo. É uma pena que o novo grupo que certamente vai assumir o poder local, ainda seja fraco e incompetente. Mas esperamos uma retomada de consciência da classe empresarial, dos docentes e da sociedade como um todo na busca por renovação, moral, ética e cidadania.


A NOTÍCIA
Três pessoas foram presas nesta terça-feira (2) com cerca de R$ 1,2 milhão em espécie no aeroporto de Carajás, no Pará, em operação conjunta das Polícias Civil, Militar e da Justiça Eleitoral, informou a Polícia Civil de Parauapebas, na região da Serra dos Carajás.
Segundo a Polícia Civil, o dinheiro foi apreendido por volta do meio-dia em três mochilas carregadas pelos suspeitos, que haviam desembarcado de uma aeronave particular. Segundo a Infraero, os suspeitos foram detidos no terminal de passageiros do aeroporto.
"Há indícios de que seria de campanha", afirmou o delegado Antônio Miranda, titular da delegacia de Parauapebas, responsável pelas investigações. Miranda disse que não divulgará o nome dos presos. Questionado se os presos estão ligados a algum partido, o delegado não respondeu.
O juiz eleitoral Líbio Araújo Moura, que acompanhou as prisões, afirmou ao G1 que os presos seriam o piloto da aeronave e um casal, cujos nomes não foram informados.
De acordo com o juiz, a investigação teve início após denúncias de que o dinheiro seria entregue no aeroporto. "Tínhamos informações de que pessoas iam descer no aeroporto de Parauapebas com dinheiro que seria para boca de urna", afirmou. Segundo ele, há indícios de lavagem de dinheiro.
De acordo com o delegado, os suspeitos afirmaram que entregariam o dinheiro para outras duas pessoas no aeroporto. Segundo Miranda, essas duas pessoas também já foram identificadas, mas não foram presas. 
Os três presos na operação estão sendo encaminhados à Polícia Federal de Marabá, onde deve continuar a investigação. O delegado não informou os nomes dos detidos.
O dinheiro foi depositado em uma conta do Banco do Brasil pertencente à Justiça Eleitoral.
O G1 entrou em contato com todos os seis candidatos à Prefeitura de Parauapebas. Até as 19h30, quatro deles se manifestaram. Veja a seguir o que dizem os candidatos:
Coutinho (PT) - Nilson Dias, presidente do partido e da coligação, afirmou que o dinheiro não está ligado à campanha do candidato e que os presos chegaram a trabalhar na campanha do PT nas últimas eleições, mas não estão mais ligados ao partido, e sim, ao adversário, o candidato do PSD, Valmir da Integral. "Recebemos a informação de que esse é um valor vindo de Belém, do governo do Estado. O governador está bancando a campanha dele aqui", afirmou.

Valmir da Integral (PSD) - A comunicação da coligação informou que entende que a afirmação do PT é "mais um desrespeito à população de Parauapebas". "É um absurdo que queiram transferir para a uma campanha limpa uma responsabilidade deles."



Adelson (PDT) - A campanha informou que prefere não se manifestar sobre o assunto e negou que o dinheiro pertença ao candidato.





Zezinho (PSOL) - Marven Lima, dirigente da Executiva do PSOL e coordenador da campanha, afirmou que foi à delegacia com o candidato para acompanhar o caso e que não tem relação com o dinheiro. "Essa era uma prática histórica em Parauapebas, onde o poder econômico sempre dominou. Agora, sabemos que é questão de tempo para que descubram mais irregularidades de outras coligações e candidatos."
Os candidatos Chico das Cortinas (PRP) e Rui Vassourinha (PRB) não foram encontrados para comentar o assunto. O governo do Estado do Pará informou que não irá se manifestar sobre as declarações do candidato do PT.

NILSON DIAS é parte FUNDAMENTAL, em qualquer investigação federal sobre o sumidouro de recursos da prefeitura municipal de Parauapebas.  Desgastado com as perdas colossais que sua empresa amargou após anos e anos prestando serviços exclusivos ao PT, cobrando absurdos e cujos contratos e repasses precisam ser auditados e seus agentes punidos, nunca deveria ter feito esta confissão extemporânea. Ao acusar Valmir da Integral e o governador do estado, estava desviando  a atenção do seu circo. Operações deste porte e ousadia  são marca registrada do PT e seus asseclas. Nilson é costumaz e nunca deveria ocupar este cargo no partido. Se Dilma soubesse o que é este PT de Parauapebas, certamente tomaria medidas para desvincular sua imagem  da propaganda eleitoral.

QUEM leu ate aqui, prepare-se  para o agregar aos fundamentos da política, os fundamentos da malandragem, do risco calculado e da demonstração inequívoca da lavagem de dinheiro. Ora, não se recomenda a ninguém, muito menos uma empresa de grande porte, fazer o pagamento com dinheiro em espécie. A retirada de tal quantia, é percebida pelo Banco Central online e a reserva precisou ser feita com antecedência ao gerente do banco, que transportou as notas até a agencia, liberando-a em carro forte, também monitorado pela Policia Federal. Então não era uma movimentação feita  às escondidas. Porque a Policia e a Justiça Eleitoral se movimentaram? Justamente contra o PT? 

Claro esta que se tratava de movimentação indevida de recursos e lavagem de dinheiro. Os portadores devem obrigações ao PT e ao atual prefeito. A ETEC é patrona de obras e serviços não licitados, em igual a WHITE TRATORES. Todos estão comprometidos. E no mínimo incorrendo a um crime ordinário. Pagar funcionários em espécie? Transportar recursos de avião sem notificar as autoridades? A nota fiscal, de prestação de serviços de locação de equipamentos era de quem? Da ETEC ou da WHITE TRATORES? Quem usaria o dinheiro afinal de contas? De qualquer maneira a explicação dada é o ponto de partida para a auditoria e o curso da investigação. O fato esta exposto, os agentes identificados. Precisamos apenas aplicar a técnica da pericia ou da auditoria contábeis e desvendar a origem e o destino reais do dinheiro. Antes vinha em pacotes e veículos dos sindicados. O PT perdeu seus sindicatos, agora tem que apelar para empresas. Triste evolução.

Uma denúncia anônima levou o juiz eleitoral da 075ª Zona Eleitoral, Líbio de Araújo Moura a efetuar uma blitz hoje pela manhã no aeroporto Parauapebas, em Carajás.
Após vistoriar a aeronave PR-DEP, supostamente de propriedade da empresa Dandoline e Peper Ltda, com sede em Belém, foi apreendido uma grande volume em dinheiro vivo.
Segundo as primeiras informações do magistrado, a Polícia Federal foi acionada por supostamente tratar-se de crime federal de lavagem de dinheiro.
A aeronave está apreendida em Carajás.
No momento da aterrisagem, uma guarnição da PM comandada pelo Tenente Coronel Mauro Sergio estava no local dando suporte e acompanhando o juiz eleitoral na ação efetuou a prisão de um casal de passageiros, além do comandante da aeronave. Eles se encontram em Parauapebas aguardando a chegada de uma guarnição da Polícia Federal que já se deslocou de Marabá para Parauapebas para efetuar os procedimentos cabíveis.
Ainda não se sabe ao certo o valor em dinheiro apreendido e nem para que fim ele seria usado. Os detidos teriam revelado no ato da apreensão que o destino do numerário era pagamento de funcionários da empresa. Especula-se, no entanto, que o mesmo seria usado para pagamento de formiguinhas de uma campanha eleitoral do município.
A conferência do dinheiro apreendido está sendo feita nesse momento em Parauapebas.
Atualização:
O juiz Líbio Moura está seguindo para Marabá, na aeronave apreendida, para apresentar os presos na Polícia Federal. Segundo o juiz não houve denúncia anônima e sim um trabalho de investigação conjunto das polícias civil e militar em parceria com a justiça eleitoral. Ainda segundo o juiz, o valor apreendido foi de R$800,000,00 (oitocentos mil reais).
Atualização
O valor acaba de ser conferido: E$1.130.020,00 ( hum milhão, cento e trinta mil e vinte reais).
Atualização
Foi aberta uma conta judicial no Banco do Brasil de Carajás para que o depósito do valor fique à disposição da justiça até que alguém ou alguma empresa reclame e comprove ter a propriedade sobre o mesmo. A numeração das cédulas será repassada ao Banco Central para que o mesmo rastreie o dinheiro. 
Atualização
O Blogger foi informado que o dinheiro apreendido hoje em Carajás é da empresa ETEC, que presta serviços em Parauapebas. Ele é procedente de Belém e foi sacado ontem na capital paraense. O destino do numerário seria o pagamento da NF 1600, emitida em 20 de setembro de 2012, no valor de R$1.134.750,25 (hum milhão trezentos e trinta e quatro mil, setecentos e cinquenta reais e vinte e cinco centavos) pela empresa White Tratores e Serviços Ltda, com sede em Canaã dos Carajás, por serviços de locação de equipamentos. Segundo informou o representante da White Tratores, foi solicitado que a ETEC sacasse em espécie o valor, já que a mesma estaria com alguma dificuldade junto a rede bancária e teria que efetuar pagamentos aos seus funcionários no próximo dia 05. O saque foi feito e o dono da White Tratores mandou aeronave de sua propriedade até Belém para trazer o dinheiro através de parentes de um amigo em comum que intermediou essa operação.
Segundo declararam ETEC e White Tratores não há vínculo eleitoral algum nesses recursos e o fato está sendo usado por alguns meios de comunicação, sem nenhum tipo de pudor ou ética,  para denegrir a imagem do candidato do PT  em Parauapebas.
As empresas já habilitaram advogado no caso para solicitar a restituição do dinheiro apreendido, apresentando, para tanto, provas documentais que comprovam a legitimidade da operação, salientando que não houve crime de lavagem de dinheiro, já que a NF e os impostos sobre ela foram pagos e devidamente declarado na escrita contábil de ambas as empresas.
Sobre o suposto crime eleitoral, já que especulava-se que o dinheiro seria usado para pagamento de “boca de urnas”, o representante da White Tratores nega qualquer participação na campanha do PT, até porque estaria com a relação desgastada com os representantes locais do partido. “Eu hoje sou eleitor em Canaã dos Carajás e não teria por que voltar a participar na campanha em Parauapebas, afirmou João Vicente, que em 2004 foi um dos principais doadores da campanha que levou Darci Lermen (PT) a assumir a prefeitura de Parauapebas e a ser reeleito em 2008.

Obviamente, que estas informações não convence ninguém minimamente politizado. Explicações tão claras e rápidas, apenas tentam esconder a verdade gritante.  Dinheiro para boca de urna, para saldar compromissos, pagar as compras de candidatos. Esperamos que o povo, o mesmo que acreditou no PT e agora o vê traindo sua confiança, trazendo Bel Mesquita como sua parceira, a mesma Bel que arrasou Parauapebas, possa dar sua resposta domingo próximo. Não a sacanagem gratuita, a política de rasteira, aos arranjos de melancolia. Chega. Agora é tempo de renovação. Não que acreditemos nas possibilidades de Valmir da Integral, mas porque precisamos renovar. É uma oportunidade finalmente da classe empresarial assumir a cidade e administrá-la com viés empresarial. Vamos ver o que acontece, mas estaremos cobrando transparência e trato com a coisa publica.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

POR QUE EU NÃO QUERO O SEU VOTO


Não fiz, não faço e não farei nada por você. Portanto, não vote em mim novamente!



Nestes últimos quatro anos, fingi que trabalhava enquanto você lutava pela sobrevivência. Lutava contra forças colossais e contra minha preguiça. Enquanto eu e meus ilustres amigos encaravam o batente apenas uma vez por semana, você acordava as 3:30, e saia para o trabalho as 5, 6 horas. Encarava duas horas no transporte desorganizado desta cidade e subia a mina, embaralhado com os seus, sem personalidade.
Se você não sobe a mina diariamente, a cerca de 45 a 75 km deste arraial, certamente sofre por 8, 10 ou 1 2 horas em lojas, escritórios, armazéns, pontos de vans ou mototaxi, correndo riscos tremendos de ser morto, assaltado, enganado ou se acaba nas filas dos bancos e dos hospitais que eu e meus ilustres companheiros nunca importamos. A nos importa somente o resultado do seu trabalhão, que é nosso salário. E quando vai alem do nosso salário, damos um jeito, sempre damos um jeito de aumentar. Somos tão bons nisso que hoje somos os vereadores mais caros deste pais. Nossa câmera fica com 6% do faturamento mensal da cidade, hoje no total de 32 milhões, portanto ficamos mensalmente com 1.5 milhões de recursos que seriam para amenizar o seu sofrimento. Calcule então 4 anos!


Decididamente não mereço ser reeleito. Nosso companheiro Faisal acertou em renunciar. Mas sua renuncia é estratégia para ganhar mais no futuro, não somos bestas ou abestados como todos vocês  que quase se matam diariamente para enriquecer nosso grupo privilegiado.
Somos vereadores de Parauapebas: Juca, por quatro mandatos, Percilia, Francidalva, Professor careta, Massud, por dois mandados.  O Massud, expertamente manou nas tetas especiais com o poder até recentemente. Emplacou sua mulher como vice do pior candidato que a cidade poderia ter. Pior que Valmir da Integral, somente a dupla Bel/Coutinho. Ou alguém tem dúvida que, se eleito, quem será o chefe e quem mandara em quem. Bel tem seu grupo por trás, que governou esta cidade como quiseram por  oito anos. Comprou Meire Vaz, comprou Claudio Almeida e comprou Nei. Fez o que quis e esta voltando, nos braços de quem a tirou do poder. Isto é apenas uma amostra do que somos capazes.




Agora, neste momento estamos cansados de ganhar. É tão fácil depois que se pega o jeito que, se vocês tolos insistirem em pagar nossos salários de 8 mil, mais despesas de gabinete de 35 mil e outras vantagens, problema seu. Continuara não tendo acesso as nossas contas, aos nossos gabinetes, as nossas decisões.
Demos uma amostra nestes oito anos de poder. Fizemos apenas o que quisemos fazer. Lembra da CPI da Água?  Afinal, quem de vocês lembram da CPI do contrato com advogado? Alguém mais lembra como fizemos para abafar as denuncias da VALE contra nosso chefe? Vocês viram como somos unidos, uma quadrilha, um grupo coeso e forte.

E não adianta mandarem puros, pessoas confiáveis, ditas honestas. No rito de passagem da vida civil para a vida do poder, sofre-se uma transformação irreversível. Vejam Zé Dias, Rinio, Valmir, Vanterlor ou Juca. Todos loucos para voltarem a esta casa. Todos com sede e saudade dos bons tempos, tempos inesquecíveis.
Estamos ricos, com situação financeira resolvida. Nem precisamos mais trabalhar, se for o caso. Apenas queremos descansar. Trouxas, por favor, não vote em nos. Nenhum de nos, em verdade quer continuar a conviver com o cheiro das massas. Chega. Se podemos sentir o odor dos shoppings centers, dos bons hotéis e do mar em Salgueiro, Recife, ou onde quisermos, para que ficar aqui, ouvindo desaforos, pedidos, suplicas?

Entenda de uma vez, Zé Ninguém:  não queremos seu voto. Não vote em nos, estamos cansados. Se estamos pedindo seu voto, entenda como camaradagem, pena de ir assim, sem deixar a ilusão de que fomos felizes. Estamos e somos felizes agora, estamos com a burra cheia e, como as leis estão mudando, vai ficar um pouco mais difícil gastar sem justificativas, aumentar preços, comprar notas fiscais frias, montar contabilidade com lançamentos frios, sobretaxas, inventar gastos do nada, fazer pagamentos e receber de volta parte, ou seja, todas as saídas que temos e que, qualquer auditor sabe onde buscar e descobrir, mas estamos seguros: todos têm um preço. Quem é doido de mexer conosco?

Sua cidade não tem atendimento médico, hospitais limpos, organização  e planejamento urbanos. Bato no peito e digo que nunca importamos com isto. Se morreram inocentes no Sesp, nas ruas caóticas, no meio rural, não nos importamos. Não fomos eleitos para resolver problemas de todos. nosso mandato é um pertence. Azar de quem doou com seu voto ressentido. Tratamos de aproveitar cada um o seu.  Construir nosso palácio foi importante. Mas o tratamento do esgoto, a construção de uma cidade digna nem pensar. Deixamos isto a cargo da Buriti, Nova Carajás  e tanto outros ricos proprietários que nos impôs e impõe este estado de coisas.

Nestes anos todos, aprovamos contas no valor de bilhões, neste ano eleitoral são 900 milhoes de reais, 500 milhões de dólares. Mas cadê a aplicação e os resultados: uma cidade limpa, organizada, com infraestrutura decente. Onde se coloca outra cena.
Agradecemos sua falta de esperança e coragem. Não quero partilhar a morte, a perda de tanta vida, é desolador mas cumprimos nosso papel. Trabalhamos para nos mesmo. Vê se aprende seu tolo. Mesmo que eu peça, NÃO QUERO SEU VOTO.

POR QUE EU NÃO QUERO O SEU VOTO


Não fiz, não faço e não farei nada por você. Portanto, não vote em mim novamente!



Nestes últimos quatro anos, fingi que trabalhava enquanto você lutava pela sobrevivência. Lutava contra forças colossais e contra minha preguiça. Enquanto eu e meus ilustres amigos encaravam o batente apenas uma vez por semana, você acordava as 3:30, e saia para o trabalho as 5, 6 horas. Encarava duas horas no transporte desorganizado desta cidade e subia a mina, embaralhado com os seus, sem personalidade.
Se você não sobe a mina diariamente, a cerca de 45 a 75 km deste arraial, certamente sofre por 8, 10 ou 1 2 horas em lojas, escritórios, armazéns, pontos de vans ou mototaxi, correndo riscos tremendos de ser morto, assaltado, enganado ou se acaba nas filas dos bancos e dos hospitais que eu e meus ilustres companheiros nunca importamos. A nos importa somente o resultado do seu trabalhão, que é nosso salário. E quando vai alem do nosso salário, damos um jeito, sempre damos um jeito de aumentar. Somos tão bons nisso que hoje somos os vereadores mais caros deste pais. Nossa câmera fica com 6% do faturamento mensal da cidade, hoje no total de 32 milhões, portanto ficamos mensalmente com 1.5 milhões de recursos que seriam para amenizar o seu sofrimento. Calcule então 4 anos!


Decididamente não mereço ser reeleito. Nosso companheiro Faisal acertou em renunciar. Mas sua renuncia é estratégia para ganhar mais no futuro, não somos bestas ou abestados como todos vocês  que quase se matam diariamente para enriquecer nosso grupo privilegiado.
Somos vereadores de Parauapebas: Juca, por quatro mandatos, Percilia, Francidalva, Professor careta, Massud, por dois mandados.  O Massud, expertamente manou nas tetas especiais com o poder até recentemente. Emplacou sua mulher como vice do pior candidato que a cidade poderia ter. Pior que Valmir da Integral, somente a dupla Bel/Coutinho. Ou alguém tem dúvida que, se eleito, quem será o chefe e quem mandara em quem. Bel tem seu grupo por trás, que governou esta cidade como quiseram por  oito anos. Comprou Meire Vaz, comprou Claudio Almeida e comprou Nei. Fez o que quis e esta voltando, nos braços de quem a tirou do poder. Isto é apenas uma amostra do que somos capazes.




Agora, neste momento estamos cansados de ganhar. É tão fácil depois que se pega o jeito que, se vocês tolos insistirem em pagar nossos salários de 8 mil, mais despesas de gabinete de 35 mil e outras vantagens, problema seu. Continuara não tendo acesso as nossas contas, aos nossos gabinetes, as nossas decisões.
Demos uma amostra nestes oito anos de poder. Fizemos apenas o que quisemos fazer. Lembra da CPI da Água?  Afinal, quem de vocês lembram da CPI do contrato com advogado? Alguém mais lembra como fizemos para abafar as denuncias da VALE contra nosso chefe? Vocês viram como somos unidos, uma quadrilha, um grupo coeso e forte.

E não adianta mandarem puros, pessoas confiáveis, ditas honestas. No rito de passagem da vida civil para a vida do poder, sofre-se uma transformação irreversível. Vejam Zé Dias, Rinio, Valmir, Vanterlor ou Juca. Todos loucos para voltarem a esta casa. Todos com sede e saudade dos bons tempos, tempos inesquecíveis.
Estamos ricos, com situação financeira resolvida. Nem precisamos mais trabalhar, se for o caso. Apenas queremos descansar. Trouxas, por favor, não vote em nos. Nenhum de nos, em verdade quer continuar a conviver com o cheiro das massas. Chega. Se podemos sentir o odor dos shoppings centers, dos bons hotéis e do mar em Salgueiro, Recife, ou onde quisermos, para que ficar aqui, ouvindo desaforos, pedidos, suplicas?

Entenda de uma vez, Zé Ninguém:  não queremos seu voto. Não vote em nos, estamos cansados. Se estamos pedindo seu voto, entenda como camaradagem, pena de ir assim, sem deixar a ilusão de que fomos felizes. Estamos e somos felizes agora, estamos com a burra cheia e, como as leis estão mudando, vai ficar um pouco mais difícil gastar sem justificativas, aumentar preços, comprar notas fiscais frias, montar contabilidade com lançamentos frios, sobretaxas, inventar gastos do nada, fazer pagamentos e receber de volta parte, ou seja, todas as saídas que temos e que, qualquer auditor sabe onde buscar e descobrir, mas estamos seguros: todos têm um preço. Quem é doido de mexer conosco?

Sua cidade não tem atendimento médico, hospitais limpos, organização  e planejamento urbanos. Bato no peito e digo que nunca importamos com isto. Se morreram inocentes no Sesp, nas ruas caóticas, no meio rural, não nos importamos. Não fomos eleitos para resolver problemas de todos. nosso mandato é um pertence. Azar de quem doou com seu voto ressentido. Tratamos de aproveitar cada um o seu.  Construir nosso palácio foi importante. Mas o tratamento do esgoto, a construção de uma cidade digna nem pensar. Deixamos isto a cargo da Buriti, Nova Carajás  e tanto outros ricos proprietários que nos impôs e impõe este estado de coisas.

Nestes anos todos, aprovamos contas no valor de bilhões, neste ano eleitoral são 900 milhoes de reais, 500 milhões de dólares. Mas cadê a aplicação e os resultados: uma cidade limpa, organizada, com infraestrutura decente. Onde se coloca outra cena.
Agradecemos sua falta de esperança e coragem. Não quero partilhar a morte, a perda de tanta vida, é desolador mas cumprimos nosso papel. Trabalhamos para nos mesmo. Vê se aprende seu tolo. Mesmo que eu peça, NÃO QUERO SEU VOTO.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

AS ODIÁVEIS E PATETICAS MUSICAS DE CAMPANHA



As pessoas comuns que vivem e trabalham em Parauapebas são assediadas diariamente por canções horríveis, sem criatividade, patéticas. Musicas de campanha, numero um dos itens ou produtos para  os meliantes políticos ou candidatos e tal,  comprarem  o eleitor incauto. São bem um retrato especial do rito de passagem que cidadãos comuns, aspirantes a políticos estão se submetendo. E vemos uma tragédia em dois atos acontecer. Por si, estão se transformando de cidadãos  repletos de boa Fe, em zumbis, como temos dito. Estão roubando direitos autorais, impondo horrores aos ouvidos de nos, pobres mortais. É um sarau de demônios, de malucos de toda estirpe, de horrores dantescos. É bem o retrato do que farao amanha, quando eleitos nossos representantes.
O partido no poder esta roubando os direitos intelectuais (?) da dupla famosa, e indiretametne estão usando  a imagem do pipoqueiro Neymar, porque as notas remetem à imagem do jovem e magrelo dançarino. Não dão o exemplo e espalham a todos os candidatos, carros e idéias desta campanha desumana. E interessante, é bem a imagem sem vergonha desta dupla que se amarram num abraço de afogados. É o mais completo descaramento de Coutinho e Bel Mesquita.

A musica da trupe do Valmir da Integral é o retrato da falsidade de sua imagem e campanha. Horror dos horrores, sua liderança ameaça ganhar as ruas, corações e mentes de uma cidade despreparada. Estaremos entregando os cordeiros a sanha dos lobos que este personagem traz consigo. Sua musica canta o restante da destruição que vamos assistir, se os dados se confirmarem em outubro próximo.

Chico das cortinas, Rui Vassourinha e os demais candidatos não merecem comentários a idiotice que suas musicas pregam aos quatro cantos da cidade.

O candidatos  a vereadores, natimortos pela própria arrogância e incapacidade de julgamento, revela a todos o caráter de sua campanha e intenções: ladrões, covardes, sem gosto ou senso estético. Suas musicas apregoam o que farão após outubro. Acabarão de destruir a cidade. É um pessoal que não pensa e  não conseguem construir o novo.
Procuramos pelo juiz eleitoral, que proibiu a propaganda na TV, destruindo a possibilidade de revelações, nivelando a campanha por cima, ao nível do PT. Porque não se proibiu os carros de som, estes indecentes e malucos veículos que tanto atrapalham o transito e nossos ouvidos? Vai entender nossas autoridades de ocasião. Sem TV não teremos uma campanha com novas possibilidades. É uma campanha encomendada.

Pelo que se desenha até este momento, o jogo será este, a manutenção do status quo. Pelo menos as crianças inocentes vão de divertir com seu puxa-puxa, de santinhos dos tresloucados e malandros candidatos a qualquer coisa que esta democracia que obriga por lei e sanções o voto, quer fazer acreditar que este é o melhor sistema. Da nojo!

terça-feira, 26 de junho de 2012

UMA CIDADE SEM POLITICOS


MOVIMENTO  DAS FORÇAS PARTIDÁRIAS E SOCIAIS
A cidade e comunidade política esta em revolução. Todas as correntes estão reagindo às possíveis alianças anunciadas, que, se por um lado, demonstra claramente o desespero do grupo que esta no poder, revela também e claramente a pasmaceira e a estupidez das tais correntes esclarecidas da cidade. Todos percebem agora, que esta política de alianças a qualquer custo para apoiar quem esta no poder não vale a pena. O que a cidade  ganha em evolução, crescimento sustentável e desenvolvimento, se todos estão do mesmo lado, ninguém enxergando alem?
Estamos a menos de 180 dias da nova legislatura e não temos ninguém a altura para desfazer o estrago que oito anos de Bel Mesquita mais oito anos de Darci Lermen causaram a nossa querida Parauapebas.
Quatro legislaturas de uma camara covarde, natimorta e oportunista, sem propostas ousadas ou inovadoras, apoiando apenas o capital em suas contas bancarias, fingindo não enxergar a cidade e seu desespero, permitindo absurdos e abusos de toda espécie contra a população. Um prefeito entrincheirado, consciente de suas falhas mas se agarrando a elas, distante das massas que seu partido diz representar.

UMA CIDADE DE POLITICOS ZUMBIS
Mesmo com a efervecencia atual, não podemos esquecer que não há diretórios ou partidos estabelecidos em Parauapebas. O que temos são grupos acomodados, que se reúnem a cada dois anos para a proposta de eleição dos mesmos. No intervalo das eleições não precisa procurar partidos, suas sedes. Alias, conforme diz Chico Brito, quando indagado por nos para saber onde encontrar os diretórios: não, quando se quer falar com DEM, liga-se para Magliano ou Avila. Quando se quer falar com PMDB, procura-se a Bel, o partido do Chico das Cortinas, qual é mesmo? Ah, liga para ele. Nem sequer na internet descobrimos onde os gatos se escondem fora as eleições. E estes homens falam em política e dizem fazer política. Na verdade são oportunistas transvertidos em políticos, haja visto a gestão administrativa da cidade ao longo destes vinte anos. Ou os desmandos e a roubalheria que toda a sociedade foi e é vítima, golpe a golpe perpetrados por estes lideres de ocasião.
Por se compor de gente trabalhadora, que espera algo deste pessoal, a sociedade não é mobilizada para cobranças. Basta olhar para os sindicatos, todos: são os mesmos diretores há 20 anos. Novidade na formação de lideres? O que é mesmo isto? Servem apenas os brancos, altos e sulistas. Não há lideres regionais, como não há lideranças partidárias. Os maiores exemplos, Bel e Faisal tem sua origem e sua manutenção cercadas de segredos e sigilos. Ao menos conseguiram transpor o curral local e serem nomeados em Belem e Brasilia. E só. Mesmo porque, apesar das fortes evidencias ninguém acusou Bel ou investigou com pericia suas contas. Não acredito que Darci e o PT  terão a mesma sorte. A própria sociedade, hoje mais madura, poderá se adiantar e  com a lei de transparência e as ONGS fiscalizadoras  que estamos criando, se tornará mais límpido.
Em 2009 visando apenas trabalho e sem nenhuma segunda intenção criamos os blogs dos vereadores. Um blog para cada um dos onze vereadores, para divulgarem seus trabalhos, comunicar com sua base e receber nossas propostas de trabalho que há cerca de seis anos fazemos a Camara Municipal. Foi apresentado em diversas situações a todos eles seus blogs, sendo colocado inclusive no painel da Camara os endereços. Proposta de manutenção foram encaminhadas e na pasmaceira desta gestão, nunca houve retorno ou negociação. Colocamos estes vereadores há três anos na internet, inclusive ranqueando seus nomes.  Nesta sexta feira fomos surpreendidos com uma convocação as pressas a Camara, gabinete do Miquinha. Não, na verdade era a corregedoria da Camara, autoritariamente, tentando nos intimidar: retirem as mentiras que foram contadas do blog dos vereadores. É isto ou a lei. Da medo pela ignorância e falta de tato destes procuradores. Não leram os blogs, a maior parte das postagens são informações sobre responsabilidade social e nossas  observações sobre governança.

AUDITORIA DE PRESTAÇÃO DE CONTAS
A auditoria moderna possui técnicas interessantes na investigação dos fatos e atos contábeis. A verba publica de gabinete tem limitações quanto a seus gastos. Pagamento de salários a parentes, a amigos que devolvem parte dos ganhos, a notas fiscais frias para compor uma simples prestação de contas que mensalmente representa pouco, ao longo de quatro anos pode representar um valor expressivo, tudo isto são fatos contábeis, passiveis de escrituração e, conforme a solicitação da pericia ou auditoria, serem investigados, periciados ou auditados. Na técnica de auditar órgãos públicos, sempre se começa pelos gastos consumíveis, aqueles que perecem rapidamente: combustíveis, alimentos, passagens, material escritório, etc. As contas de qualquer órgão publico são como direitos trabalhistas: sempre tem erros, alguém sempre tentou ocultar algo, algum valor ou fez parte de um conchavo. Estas técnicas são ciência e estão a disposição da sociedade. Na CPI da Água (alguém ai lembra desta CPI?), nos, que fomos  responsáveis pela inicio da implantação sequer fomos convocados. Na armação do CPI do contrato de Assessoria Juridica, oferecemos subsídios técnicos aos vereadores da comissão e nem resposta tivemos. Estes vereadores e políticos partidários  sempre estiveram ao lado do poder executivo, ninguém jamais tomou quaisquer iniciativa de inibir Bel ou Darci nos seus desmandos tresloucados. Temos o que temos, somos o que somos ainda. Mais uma oportunidade de mudar tudo isto se configura. Mas quem é o eleito? Quem não esta ou esta minimamente comprometido com os capangas de sempre?

DESESPERO E TRAIÇÃO
Numa tarde de 2004, logo após a vitoria vermelha de Darci Lermen,  sacramentada nas urnas, recebi no meu escritório  parte da equipe de consultores, que iriam ao Panama, trabalhar nas eleições de certo candidato daquelas plagas. Tinham cumprido seu papel técnico com a derrota do grupo de Bel: Ora, perdemos esta eleição para equacionar as pressões na tese do governo amigo. Com três lideres lutando entre si, Meire Vaz, Faisal e a própria Bel, era muito dificil o grupo ter o poder pelos próximos vinte anos, conforme planejado. Dentro daquele contexto, era necessário entregar  o poder ao grupo de oposição, de forma negociada, para voltarem sem o estorvo dos lideres caroneiros. Então, preventivamente, costuraram um acordo com este grupo: dinheiro e suporte. Transferência de poder sem investigações ou acusações. Não  poderia haver tanto apoio ao PT naquele momento se todos estavam bebendo na fonte da prefeitura em oito anos de Bel. Como se deu todo aquele movimento? Todos ainda lembram do enorme volume de recursos gastos na campanha daquele que era ainda professor em Parauapebas. “vamos sair, resolver nossas diferenças internas e voltar mais fortes. O PT vai se enrolar, não sabem administrar mesmo”, palavras de um certo consultor.
E assim vimos o PT se enrolando. Primeiro quando após a vitoria espetacular, ele se retirou para descanso. Ora, não cabia descando naquele momento. A cidade estaa sucateada, nada funcionava a não ser as festas intermináveis da prefeita pop star. A situação da água, esgoto, saúde, transporte, infraestrutura de transito, vias publicas eram um caos, inadministráveis. As contas não estavam dentro das normas publicas, excessivo financiamento, sistema de internet inexistente, camara corrupta e pesada. Bel não sabia mais o que fazer, imobilizada pelas presenças fortes de Meire Vaz  e Faisal Salmen. Seu mentor estava cansado e haviam outros planos para ela em Brasilia. É assim. Os grupos de poder precisam se renovar, estabelecer raízes em todo  lugar. E Bel era uma luva, no deserto do PMDB paraense. Nas graças de  Jader, Bel, com sua forte presença, virou celebridade. Eleita com mais de quarenta mil votos, retirados do curral do Jader, caiu nas graças de sua esposa e após uma magistratura fraca, apagada e inútil, retorna duas vezes a Parauapebas: para ser candidata a prefeita, onde se  vê solitariamente sem recursos e seguramente amarrrada por acordos e depois a deputada estadual, quando tem menos votos, proporcionalmente,  que Rui Vassourinha. Vaga pela cidade até ser chamada para secretaria nacional de turismo. Resultado de seu trabalho em Brasilia e dos laços com Jader, Bel entra para o ministério mais enrolado de Brasilia. Com centenas de denuncias de corrupção, gestão fraudulenta, desvios de verbas, o Minsiterio do Turismo é um caso a parte em Brasilia. Em plena época de grandes eventos no pais, este minsiterio não mostra a que veio. Não se conhece um projeto nacional, uma estratégia política, social e econômica para o turismo nacional. Ninguém sabe o que faz uma secretaria nacional de turismo. É isto que da tempo a Bel Mesquita para fazer política em prol de Jader e do seu Pará. É este vazio na pasta de sercretaria nacional de turismo que a faz cair na sua própria armadilha: unir-se aos seus inimigos numa tentativa amalucada de voltar ao poder em Parauapebas. Estaria muito melhor vice de Valmir, Chico das Cortinas ou Rui Vassourinha. Bel esquece de quem a exconjuoru há apenas oito anos atrás. Mas acordos são acordos e agora é escancarado a sociedade a vilania deste partido e sua desenvoltura irresponsável para com todos os cidadãos de Parauapebas. Havia um acordo sim, há oito anos passados. Certametne houve apoio financeiro para garantir a transição. Uma passagem de poder combinada. Na verdade os novos executivos guarneciam os interesses de quem saia, se comprometendo  a devolver este poder quando no momento e tempo oportunos. Eis agora a msitica da junção Bel/Coutinho. Agora estão explicitas as razões de não ser o deputado estadual o candidato. Milton não aceitaria tal composição. Os petistas de verdade não podem e não vão aceitar tal composição. Esta união é um consenso dos poderosos e cegos. As massas não vão acompanhar esta loucura. É passar um cheque em branco a oposição, que deve agora materializar no vácuo de opções gerado. E o PT nem se reinventou, preferiu a acomodação das pesquisas.
Sinceramente não acredito que as massas engulam mais essa dos poderosos. Acredito com Fe, que não houve combinação com as massas e esta vai responder em outubro que não é besta, ou de manobra. Haverá um não a esta pantominia. Mas, ainda não sabemos quem são as massas.Na pressa, os gênios do PT não analisaram a queda de popularidade de Bel Mesquita em Parauapebas. Não tem mais força de chegada nem quem acredite a ponto de financiar uma campanha em seu nome. Não há grupos de atração em Paruaapebas sem dinheiro. Anos após ano, eleição após eleição Bel perde pontos e votos. A ponto de perder votos para o novato Rui Vassourinha. Não é mais líder regional, seu votos são elementos de pesquisa apenas, portanto contextual. Este abraço de morte do PT e PMDB poderia ter sido evitado. Mas insistem em não nos ouvir.
Veja algumas fotos da realidade de Parauapebas: